segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Eu gosto de Juazeiro e adoro Petrolina!


Há cerca de 20 anos eu passava por Petrolina e Juazeiro, a caminho de Senhor do Bonfim e Campo Formoso, vindo de Recife, onde morava. Era uma viagem de trabalho e passei rapidamente por essas cidades, pois tínhamos pouco tempo para realizar um levantamento de informações em uma empresa de mineração e cimento, de Alexandre Maranhão. Eram cidades simples e pacatas, típicas do interior nordestino, e o que me chamou a atenção foi a ponte e o rio que as separava. Mal sabia que esse rio, o meu Velho Chico, se tornaria íntimo de minha vida e dono de meu destino! Isso foi há muitos anos...

Passei ao largo da represa de Sobradinho, desde Passagem e Pilão Arcado, direto para Petrolina. A travessia de Xique-Xique para Passagem foi feita de barco e cheguei à noite no pequeno porto; dormi no próprio barco devido ao adiantado da hora. Pela manhã conversei com alguns moradores e logo percebi que seria difícil conseguir transporte para Remanso. Ao contrário de Xique-Xique, Passagem tem muito pouco movimento de barcos e nenhum transporte regular para qualquer outra cidade do lago de Sobradinho.

Segui para Pilão Arcado em um pequeno caminhão e logo saí em busca de transporte. Também lá a situação era difícil; poucos veículos faziam entregas, a maioria carros frigoríficos, e nenhum se dispunha a levar minha canoa até Remanso. O preço de transporte em uma caminhonete era absurdo: cento e cinquenta reais! Desse jeito não chegaria ao final de minha viagem!

Depois de algumas horas sentado no meio-fio, minha canoa no meio da rua, passou uma carreta que eu vira despejando sacos de cimento logo atrás. Dei sinal, meio desconsolado, e o motorista, sr. Régis, parou. Expliquei a ele minhas dificuldades, mas ele se mostrava desconfiado e indeciso. "Quem seria esse maluco?", teria pensado. Tomei uma decisão e perguntei: "por quanto o sr. me leva até Patrolina?". Ele, pego de surpresa, replicou: "quanto o sr. me daria?". E logo fiz uma proposta definitiva: "cento e cinquenta reais"; foi o que me veio à cabeça, dado o preço das caminhonetes até Remanso... ele aceitou!

Chegamos a Petrolina às nove da noite, depois de passarmos por Remanso e Casa Nova. A estrada é péssima e a carreta vazia chacoalhava muito, fazendo um barulho metálico desagradável e  constante... minha canoa era jogada para todo canto da carroceria, perdida naquela imensidão vazia... No caminho ele ainda deu carona a três pessoas e logo percebi que paguei caro demais... mas o problema de transporte foi resolvido e era o que me interessava naquele momento. Paramos para almoçar em Remanso, onde tomei um banho e troquei de roupa. No caminho liguei para Avelar Amador, diretor do Clube Náutico de Petrolina, que me oferecera estadia e apoio logístico, através do chat de meu blog...

Avelar se encontrou comigo na cidade e descarregamos a canoa e minhas tralhas no clube. Seguimos à procura de um hotel e fiquei muito bem instalado no Portal do Rio, bem no centro da cidade. O hotel serve um excelente café da manhã e tem telefone, TV e ar condicionado no quarto. Muito mais do que estou acostumado nos últimos meses! Só estranhei mesmo a água quente... prefiro gelada!

Avelar tem sido um grande amigo: levou-me ao clube e me apresentou a seus amigos, fomos passear de veleiro com um amigo em comum de Recife, o Paulo Moura, ex-colega do Pague-Menos; hoje fomos ao museu de Ana das Carrancas, artista plástica falecida em 2008, e que produziu obras belíssimas em barro, e à Casa do Artesão, onde conheci "Rock" Santeiro, um artista que esculpe, em madeira, peças magníficas!

Ainda dei uma entrevista à Gazzeta de Petrolina, graças aos contatos de sábado no Clube Náutico. A reportagem deverá sair na edição de amanhã, dia que reservei para visitar Sobradinho, a cidade e a represa. Lá tenho outra indicação de Avelar, o engenheiro Marcelo, que me mostrará a usina hidrelétrica.

Na quarta-feira sigo minha viagem, agora recuperado de parte de meus atrasos... e levo comigo as recordações de um grande companheiro, Avelar Amador, que me deu todo esse apoio apenas por acreditar em meu trabalho e compartilhar de minhas intenções preservacionistas! Obrigado, meu amigo!

Um comentário:

Danilo Havana disse...

Oi João

Não só eu, como muitos outros, mesmo que de longe seguimos na torcida pela sua viagem.
Só mesmo conhecendo os moradores da região para que vc consiga entender um pouco do lugar.
Tom Zé mesmo diz que o gosto pela cultura e a tradição passada de pai pra filho no sertão nordestino se dá exatamente pelo fato da "privação cultural" a que sofreram. Sem apoio de ninguem ao longo de toda a historia passaram a dar mais valor nas tradições contadas e cantadas. Diferente do pessoal do sul que recebeu massivamente a educação europeia decartiana.

Abraços
e força ai!

Danilo
http://urubutres.wordpress.com/

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Depoimento de Manoel Bibiano, prefeito de Iguatama, MG

Charge na "Gazzeta do São Francisco"

Charge na "Gazzeta do São Francisco"
Despedida de Nêgo Dágua e a Carranca - Juazeiro, BA

Depoimento de Roberto Rocha, Lagoa da Prata, MG

Localidades Ribeirinhas

Vargem Bonita / MG

Ibotirama / BA

Hidrelétrica de Três Marias / MG

Morpará / BA

Pirapora / MG

Barra / BA

Ibiaí / MG

Xique-Xique / BA

Cachoeira do Manteiga / MG

Remanso / BA

Ponto Chique / MG

Santo Sé / BA

São Romão / MG

Sobradinho / BA

São Francisco / MG

Juazeiro / BA

Pedras de Maria da Cruz / MG

Petrolina / PE

Januária / MG

Cabrobó / PE

Itacarambi / MG

Hidrelétrica de Itaparica - PE / BA

Matias Cardoso / MG

Hidrelétrica de Paulo Afonso / BA

Manga / MG

Canindé de São Francisco / SE

Malhada / BA

Hidrelétrica de Xingó - AL / SE

Carinhanha / BA

Propriá / SE

Bom Jesus da Lapa / BA

Penedo / AL

Paratinga / BA

Piaçabuçu / AL

Depoimento de Dom Frei Luiz Cappio, Bispo de Barra, BA

Principais Afluentes

Rio Abaeté

Rio Pandeira

Rio Borrachudo

Rio Pará

Rio Carinhanha

Rio Paracatu

Rio Corrente

Rio Paramirim

Rio das Velhas

Rio Paraopeba

Rio Grande

Rio Pardo

Rio Indaiá

Rio São Pedro

Rio Jacaré

Rio Urucuia

Rio Pajeú

Rio Verde Grande

Entrevista à TV Sergipe, Aracaju

Postagens mais populares